domingo, 31 de janeiro de 2010

escrito poético

nao sei porque
os criadores e os colecionadores de pássaros
insistem, em vão
em querer
prender a liberdade
para si!...

gianemf. 2010

coleta de imagem



fotografia digital. 2007

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

referência artística: rivane neuenschwander



buchas - 1996
Rivane Neuenschwander

Inventário das Pequenas Mortes (Sopro) - 2000
Rivane Neuenschwander & Cao Guimarães
(vídeo que acompanha a trajetória de uma bolha de sabão)

esta artista sensível e poética (que é mineira como eu) nos presenteia com trabalhos de minúcia e cuidados tão prazerosos de ver, e sentir!... rivane me inspira e sua produção é uma das referências à minha e estímulo ao meu modo de ver e me ater ao/no mundo, ao espaço e principalmente, a ocupaçao deste. mas, também me revela maneiras de resignificar coisas do cotidiano. por vezes, busco suas produções e imagens de registros das mesmas, ou textos que apresentam seu trabalho e um pouco de suas pesquisas para me 'alimentar' de belezas e sutilezas, e assistir um modo de materialização plástica e visual com a qual tenho afinidade.

rendariô





em minha produção artesanal, onde primo pela reutilização de matéria prima que seria jogada fora (forma muito difundida nos dias de poluição exacerbada com o título de "reciclagem", na verdade, neste caso é reaproveitamento),
aproveito calças e jaquetas jeans usadas, gastas e descartadas para dar continuidade de vida útil ao tecido resistente em bolsas de passeio, onde busco evidenciar, ou almenos não camuflar, o fato de que a matéria prima é aproveitada.
obs: as bolsas cujas imagens coloco aqui, já foram adquiridas por compradoras(es) na loja HZ, no mercado central de BH (que citei anteriormente). mas, sempre há outras como essas disponíveis na loja. lembrando que as peças são únicas embora dentro de um mesmo referencial. únicas, claro! artesanal.
gmf.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

operação tapa buracos













na praça gomes freire, em mariana/MG, eu e fernanda c. realizamos a operação tapa buracos II. esta intervenção não foi anônima como a anterior(que aqui apresentei). nos pusemos a tapar algumas pequenas frestas do piso da praça em meio aos passantes. alguns, curiosos.
a curiosidade – como mencionou fernanda – é uma primeira reação do público que nos satisfaz (sim! sem receio de afirmar!). é o momento em que, metaforicamente, o expectador ‘morde a isca’. e a curiosidade se manifesta mesmo naqueles que não presenciaram a disposição dos ‘corpos estranhos’ ao lugar, naquele espaço. é certo, não são todos os ‘curiosos’ ou instigados, mas e daí?! importante é comunicar-se com alguém, não com o mundo todo!
o vermelho atrai. o que quebra a rotina – como os ‘pequenos tufos de grama vermelha de papel’ em meio à praça – causa estranhamento e curiosidade, e atrai. pessoas se dispondo a sair de um vai e vem óbvio, atrai. embora, não a todos e mesmo que não seja a todo tempo.
enfim, o momento foi quase efêmero, mas duradouro devido ao fato de termos nos comunicado com as pessoas em seu lugar de trânsito!

operação tapa buracos II
poética intervenção na rua
(praça gomes freire – jardim. mariana/MG)
janeiro/2010
gianemf e fernandacm




mas, preciso falar desse garotinho acima!:
a criança quase não cabe em si, de ânsia de descoberta e de ausência de reservas e pudores! o garoto, viu com os olhos e depois com as mãos e com os pés! foi, voltou. chamou outra criança, levou uma pequena amostra do objeto à mãe. não se satisfez em menos de 7 minutos! ficamos percebendo-o demoradamente em sua ‘pesquisa’ calma e observadora.
...tapar buracos... resignificar, reelaborar, remodelar, reconstituir... e prosseguir!

operação tapa buracos II
poética intervenção na rua
(praça gomes freire – jardim. mariana/MG)
janeiro/2010
gianemf e fernandacm

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

breve histórico: ser-para-a-morte?









o vieses foi a Porto Alegre/RS em 2007, para sua terceira exposição, ocorrida no centro municipal de cultura da cidade. o nome da mostra foi 'ser-para-a-morte?':
"Expressando-se em linguagens diversas, como xilografia em tecido, colagens, objetos, fotografia, cianotipia, off set, expusemos variações de discursos sobre o tema da morte na sociedade contemporânea ocidental, onde acentuam-se a deturpação de valores, a banalização da vida, a generalização do imediato e as angústias do indivíduo. (...)
Através de quais símbolos e imagens o homem ocidental vê a morte? A morte seria irremediável e permanente? (...) Dentro de uma proposta de um envolvimento maior do expectador, o grupo criou cinco colunas confeccionadas em tecido transparente ora escuro, ora claro, onde alguns trabalhos foram inseridos ou impressos sobre o próprio tecido. A intenção foi que o expectador nelas penetrasse e pudesse, através da interatividade com os trabalhos e com o espaço tridimensional, vivenciar novas experiências e questões sobre o tema apresentado. Em uma das colunas havia dezenas de patuás (escapulários), ali dispostos com o intuito de que o visitante pegasse um e levasse consigo. Trata-se de uma abordagem sobre as esperanças e desejos individuais que reativam (ou, reativariam) o dia-a-dia de cada um. é o 'poço dos desejos' (...)"

obs: o 'poço dos desejos' foi exposto novamente em 2009, em BH, adequando-se ao espaço onde se realizou e a proposta renovada. mais tarde postarei aqui neste blog imagens da mais recente exposiçao.



fotografias do momento do vieses em porto alegre/RS. torre da usina do gasômetro e cais do porto, respectivamente. dois espaços culturais de poa.

referência cultural: festa junina



fotografia digital - 2009

por ocasião da comemoração junina na escola onde trabalho, as bandeiras, balões e cores bailam fixos nos cordões! aproveitam o vento.
indico o site www.jangadabrasil.com.br prá quem se interessa por movimentos culturais populares. suas referências e manifestações cênicas, musicais, visuais, plásticas e históricas me interessam e me aprimoram bem enquanto as absorvo.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

arte na educação: desenho no quadro












houve uma outra aula também gratificante para nós! trabalhei com algumas turmas de 9 a 11 anos (nas imagens acima, uma das turmas de 9 anos). diante das manifestações recorrentes dos meninos (e meninas, claro!) de interagir com o quadro "do professor", preparei as aulas de desenhos no quadro, que repetimos algumas vezes, devido ao retorno agradável, onde vários dos objetivos foram alcançados (além daquelas respostas ainda, que não planejamos, mas que surgem por consequência do momento imediato!). a proposta apresentada: cada um iria ao quadro desenhar a partir de um tema (nessa aula, levei um livro de poesias de Pablo Neruda para crianças, o "livro das perguntas", e apresentei-lhes algumas, como estas: "onde termina o arco-irís, em tua alma ou no horizonte?" ou, "onde fica o umbigo do mar? por que até ali não chegam as ondas?". em outras aulas utilizei-me de outros temas lúdicos. mas tenho trabalhado bastante com eles com a poesia escrita, também. a verdade é que no geral eles gostam muito de poesias!). enquanto um desenhava lá na frente, os outros representavam o que ia sendo composto no quadro em seu papel de desenho na carteira, de forma que ao final da aula, havia uma composição coletiva no quadro e uma composição individual no papel com a contribuição do mesmo coletivo.
durante a aula, o entusiasmo foi bastante! Estavam ansiosos para voltarem ao quadro e fazer um desenho de novo. E foram!
Enfim, mais uma vez, utilizei-me do espaço disponível, das condições existentes e busquei neles algo de interesse que os pudesse estimular: o quadro... que sonho de infância ocupar a lousa da professora e chegar perto daquele suporte imenso e poder expressar-se naquele espaço! ademais, para uma aula de arte, o suporte é realmente bom e oferece boas possibilidades de aproveitamento.
enfim, quero ressaltar (talvez, prá mim mesma, para que isto me sustente) que bons momentos para eles (e prá mim, também) são possíveis e que a despeito das tantas dificuldades... há algum respiro!

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

coleta de imagem




fotografia digital. 2006
obs: coleta de imagem e cor!

breve histórico: lugares da memória









imagens de registros da 2ª exposição do grupo vieses que aconteceu na casa de cultura josephina bento, em betim - MG, em 2006. o título da mostra: lugares da memória. buscamos um dialógo com o espaço e os objetos da casa de cultura que é tombada e faz parte da história desta cidade metropolitana de BH. nos propusemos a dialogar com este espaço de tantas informações por si só. nossa proposta enfim, foi " realçar e também levar novos significados à poética dos objetos existentes na casa"

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

meu mundo: desenho


detalhe de um desenho que fiz sobre o
"meu mundo"
caneta esferográfica preta e azul
2010

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

operação tapa buracos









Operação tapa buracos – I
Série de fotografias digitais
20cm X 25cm (cada fotografia)
2009