segunda-feira, 30 de agosto de 2010

coleta de imagem


gianemf.
fotografia digital - 2010

domingo, 29 de agosto de 2010

inte(i)rando: a melhor e a pior parte

a melhor parte de hoje:
ver sorriso de neném em minha mais nova prima segunda.
a pior...:
não ter espaço e tempo como quero e sinto precisar.

domingo, 22 de agosto de 2010

breve histórico: pare de voar





pare de voar
(ou, só se você voar com cautela...)
escultura em pedra sabão
10cm alt X 30cm comp X 12cm larg (aproximadamente 3,5kg)
2005
gianemf.

arte na educação: as luzes e as sombras











jogando, brincando, experimentando com as luzes e as sombras. em várias etapas: assistindo, produzindo, testando, recortando. e... redescobrindo!

compartilhando dos que me acompanham: bonecos





homenageio hermes perdigão e seus bonecos animados!
http://bonecoshermes.blogspot.com/
gianemf.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

escrito poético

... deitei no chão da sala. fechei os olhos. esticada, por alguns minutos. quando os abri, olhando em direção à lâmpada acesa no teto, fui assistindo o balé circular de um pequenino e delicado inseto verde, de asas transparentes. descendo em giros rápidos até mim, à frente da luz branca do alto do cômodo.
gianemf.
2010

rendariô


obs: flores para os cabelos da andreia.
gmf.

esboços de figuras humanas





gianemf.
2008/2010
obs: observando as pessoas pelas ruas...

domingo, 8 de agosto de 2010

referência artística: literária: manoel de barros

sobre a simplicidade, a vida com sentido(s)... a alma da(s) vida(s). e... abordagens das artes plástica e visual.

"(...) desinventar objetos. o pente, por exemplo.
dar ao pente funções de não pentear.
até que ele fique à disposição de ser
uma begônia ou uma gravanha."

"maior que o infinito é o incolor."

"... hoje eu desenho o cheiro das árvores."

"(...) gostava de desnomear.
para falar barranco dizia: lugar onde avestruz esbarra.
rede era vasilha de dormir.
traços de letras que um dia encontrou nas pedras de uma gruta,
chamou: desenhos de uma voz.
penso que fosse um escorço de poeta."


manoel de barros
trechos de 'o livro das ignorãças'.

breve histórico: bicho come, escreve, desescreve







bicho come, escreve, desescreve - 2007
objeto e fotografia digital
gianemf.

certo dia... certos dias. foram dois: num, minha irmã reabriu um caderno de escritos de sua adolescência após muitos anos. dentro dele haviam habitantes! as larvas comiam as palavras enquanto comiam o papel. e desenhavam na superfície enquanto se locomoviam comendo. noutro, encontrei caminhos no pote de farelo de pão. de bichinhos que já haviam se metamorfoseado em pequeninos insetos. construíram avenidas que se entrecortavam dentro do recipiente de vidro!

terça-feira, 3 de agosto de 2010

inte(i)rando: quatro palavras

cochinilha
mugango
jurubeba
gabiroba

estas palavras são as que mais gosto de repetir numa brincadeira vocal! seus fonemas formam canções em minha fala!