sexta-feira, 25 de junho de 2010

coleta de imagem





gravar.v. 1.Tr. dir. Abrir, esculpir com buril ou cinzel. 2.Tr. dir. e pron. Imprimir (-se), estampar(-se), fixar(-se). 3.Tr. dir. Assinar ou marcar com selo ou ferrete. 4.Tr. dir. Assinalar, inscrever com elogio, perpetuar. 5.Tr. dir. Fazer gravação1.

fotografia digital.
gmf.

inte(i)rando: poesia: jogo de palavras

"se acabarem
com o jabuti,
o jabuticaba."
sérgio capparelli

domingo, 13 de junho de 2010

arte na educação: pegadas. que marca você vai querer deixar no mundo?





a proposta de aula foi trabalhar com o molde do próprio pé (calçado ou descalço). O formato do pé em papel se tornou o suporte para os desenhos e escritos.
o estímulo para os registros em desenho ou escrita foi : pegadas. com a pergunta: que marca você quer deixar no mundo? O quê deixar para as pessoas? lhes falei um pouco sobre o que pode ser uma marca. e após a conversa com introdução sobre a proposta, partiram para os desenhos.







eu disse a eles que iria espalhar as pegadas pela escola. em todos os lugares. em todos, mesmo. eles iriam se deparar com pés durante várias semanas - e ainda estão encontrando. Quem sabe vejam a sua própria marca? talvez não a encontrarão mas, com certeza, a de muitos colegas. lhes falei sobre “intervenção urbana”.



agora, vêm muitos até mim. Alguns eufóricos. contam quantos pés acharam pelo caminho e me trazem os números. Os que encontram os seus próprios, me comunicam. os que encontram alguma pegada em algum local que consideram um tanto inusitado, me falam da observação. e, a intervenção na escola tem rendido observadores!

coleta de imagem




luzes, sombras, transparências, frestas... movimentações.
fotografia digital
gianemf.
2007/2010

compartilhando dos que me acompanham




bonecos - prá mim, objetos artísticos - em tecidos, linhas e costura.
da cristina aguiar.
2004

sábado, 12 de junho de 2010

escrito poético

... fui ver pássaros!
passarinhos e passarões. felizes!
cantantes! comilões e
quase sorridentes!
belos e esvoaçantes!
amo ver a liberdade dos pássaros.
amo seus olhares redondos e transmissores de pacificação.
e suas peninhas coloridas (ou, não)
formando a capa-vestimenta nitidamente macia.
e suas canções!
gianemf.
2010

rendariô






!
novas peças, recentemente colocadas à disposição na loja HZ, lá no mercado central/BH.
gmf.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

inte(i)rando: mobilização relâmpago

li outro dia no site guia entrada franca (que aliás, indico: http://www.guiaentradafranca.com.br/) sobre ‘mobilizações relâmpagos’. eventos de aglomerações instantâneas em algum local pré-definido e organizado via internet (através das redes sociais: emails, twitter, Orkut, facebook, blogs). o objetivo de tais movimentos é a “realização de determinada ação inusitada”. na matéria, o site apresenta alguns exemplos dessas ações, aqui ou no exterior, e ainda nos recorda sobre a ‘praia da estação’ e o eventão. movimentos que há alguns meses têm como maior objetivo o protesto à proibição da prefeitura de BH de que haja evento cultural ‘de qualquer ordem’ na reformada praça da estação.
o que mais me atraiu nessa matéria foi a informação de tais ações relâmpagos em locais públicos diversos, por serem locais de livre acesso. pois que havendo uma boa idéia ou intenção pode ser que aconteçam realizações relâmpagos bem interessantes e engajadas.

coleta de imagem




eu sei que é bonito...o traço do jato do avião.
no céu, brilhante do sol,
marcando o trajeto da sua viagem de alturas.

gianemf
fotografia digital
2010

quinta-feira, 3 de junho de 2010

breve histórico: 1/2 auto retrato



monotipia sobre papel de seda - a partir de fotografia
2005/6
gianemf.

breve histórico: desde outros tempos

Tenho algumas memórias antigas de um gosto e olhar voltados para questões ligadas à arte e à imagem, além da percepção ‘atenta’. Há pouco tempo passei a recordar naturalmente de momentos onde estas percepções visuais e estéticas, principalmente, se manifestavam quando eu era ainda bem criança (pequena. Na mesma época em que me interessava por dança e solicitava à minha mãe que me ingressasse em alguma escola de bairro).
Quatro momentos são bem marcantes, e foram; um deles foi quando das vezes em que íamos ao centro da cidade e passávamos de ônibus, num trecho do percurso onde havia um pequeno campo de flores (que na época me parecia imenso!), de uma floricultura que funcionava por lá. A plantação ficava num monte, acima de meu olhar, e eu sempre olhava. E apreciava tudo! O caminho, faço até hoje. As flores não existem mais por lá.
Outro momento foi numa certa noite em que minha mãe preparava o jantar. Eu e meu pai estávamos na mesa ao seu lado desenhando (acredito que eu o convidei à atividade porque isto é bem próprio das crianças). Lembro-me de meu pai elogiando meu desenho (e isto é bem próprio dos pais) mas, o mais marcante mesmo é a lembrança que tenho do prazer e da segurança que tive enquanto traçava as linhas no papel.
outra vez, no ônibus a caminho de qualquer lugar, eu costumava observar a sombra do próprio veículo no chão e suas deformações devido às oscilações e alterações das superfícies onde a sombra se projetava. Eu observava isto, acompanhando a trajetória da sombra, por minutos e minutos seguidos.
e enfim, lembro-me do Daniel azulay, mais pontualmente, dos seus traços construindo figuras (personagens) enquanto acompanhávamos a construção imediata de cada movimento no papel. E depois, os personagens se tornando animados! Que lembrança gostosa!são!