terça-feira, 17 de janeiro de 2017

um desenho de cão.


 melão
desenho sobre papel em moldura.
medidas: 11cm X 16 cm
gmf.

arte política na escola. outra vez.

  

  




  



  







não importa a idade, pessoas tem o hábito problemático ao meio ambiente em geral, de jogar fora com facilidade os seus ditos 'lixos'. nas escolas, a crianças, que se exemplificam nos adultos em volta, arrancam folhas e folhas limpas de papel de seus cadernos. iniciam um traço e não ficaram satisfeitas? arrancam e jogam ao lixo - quando não, no chão. encontram um pequeno amassado? arrancam! querem brincar de avião? arrancam! (por que não aproveitar os inutilizados para desenhos e escritas para aviões, dobraduras em geral e até as bolinhas?).
estive durante o último ano letivo na escola, falando sobre o assunto, exemplificando e coletando - a partir do 2º semestre - papéis descartados desta maneira tão mecanizada e excessiva. lhes disse que el@s iriam rever seus papéis de uma outra maneira, em espaço aberto na escola, para lhes mostrar um pouco sobre o descarte banalizado, repetitivo e descompromissado com várias questões.
sim, são crianças - não que adultos no espaço escolar também não façam o mesmo às vezes. mas, todas as perguntas apresentadas nas folhas amassadas - emboladas por el@s e desemboladas por mim - acredito pertinentes à tod@s.
enfim, esta exposição do objeto em que se transformou o acúmulo dos papéis, foi elaborada e feita por mim. de grande validade é a produção artística junto aos estudantes, em parceria durante a criação - e com ela trabalho. infelizmente, no momento escolar em que este trabalho foi exposto, não pude desta vez propiciar que trabalhassem junto comigo, o que seria ideal.
porém, houveram alguns impactos nas observações por parte de várias crianças e alguns (as) funcionári@s.
acredito na relevância da apresentação destes papéis com esta outra ótica.

objeto, panfletos. arte política.
 st.
gmf.