quarta-feira, 16 de março de 2011

rendariô





cores, fitas, vibração...
novo colar.
na hz, mercado central - bh
gmf.

sexta-feira, 11 de março de 2011

desenho: retratos de manuela






manuela por/de perto
2011
canetas esferográficas s/ papel
gianemf.

terça-feira, 8 de março de 2011

arte na educação: óculos, mais óculos e ouvindo adriana partimpim, de óculos.



apresentando o óculos que eu, acima, a professora, levei para as aulas. excêntrico o objeto. as crianças adoraram me ver "vestida" dele.










então, cada um produziu seu próprio objeto de por nos olhos, seguindo algumas orientações muito básicas, minhas.




traços sinceros e fantasias sorridentes. sorrisos que fazem parte da atividade e do que as crianças podem ser.



e, durante todo o tempo ouvindo adriana partimpim, cujo retrato com o enorme óculos rosa de papel com os dois olhos desenhados, eu lhes apresentei juntamente com as canções.


inte(i)rando: o contador de (positivas) histórias

roberto carlos hoje (e há algum tempo) é um contador de sorrisos e superações. eu o conheci no filme de Luiz Villaça, baseado na trajetória do ainda garoto roberto. é bom ver que as coisas (e pessoas) não são fadadas ao lodaçal, se contribuírem consigo mesmas.
http://www.robertocarloscontahistoria.com/

breve histórico: ilustração




impressão sobre papel
2006
tamanhos variáveis
gianemf.

referência artística: sonia gomes




..."quando a linha cria asas..." e alguém vem "tecer mundos".
estive novamente estes dias, com o catálogo da exposição “quando a linha cria asas...”, de sonia gomes, em mãos. os trabalhos são belos e muito expressivamente orgânicos.
E se as texturas, os tecidos e costuras, os recortes e colagens já me chamam à observação profunda, também me ocorre minha produção artesanal – bem como a artística – onde me utilizo de materiais e técnicas de uso da artista que apresento aqui.
no texto de apresentação do catálogo, luiz Flávio (artista plástico e professor da puc-minas) chama a atenção para a “elaborada inteligência visual” com que sonia produziu objetos tão significativos e ainda cita borges quando lembra sobre “a tarefa de desenhar o mundo”.