segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

escrito poético

olhando para o céu de estrelas nesta noite de brisa, olhando muito e com intensidade, fiz três interessantes observações: primeiro: vi como se, numa piscina de bolinhas, eu observasse todas as bolinhas de dentro da piscina, e não de fora. eu, dentro do espaço - universo. segundo: percebi que nós aqui, com os olhares limitados, ao olharmos para o céu, imaginamos estar diante de um teto. mas, o teto fecha o lugar na parte de cima e nós não estamos embaixo no espaço. fazemos parte dele. estamos tão habituados a este ponto de vista que vemos como um teto o que na verdade é um grande espaço aberto. eu posso algumas vezes, se observar com cuidado, ter um olhar do grande espaço aberto ao invés do topo limitado. terceiro: as estrelas cadentes nos evidenciam o que os olhares não percebem de pronto. elas nos tornam visível o movimento do universo.
gianemf.

Nenhum comentário: