segunda-feira, 22 de março de 2010

compartilhando dos que me acompanham: continuando

você já parou prá pensar sobre a vida? (parte II)

(...)
E ali no cantinho tá vendo? Escondinho ali! Uma moça levando um café com leite para aquele senhor que, pelos trajes, vê-se que mora na rua; Repare nele, no sorriso alegre de quem acaba de receber um grande presente. Nunca pensei que um café com leite poderia gerar tanta alegria... percebe a pontinha de inveja que esse meu velho coração acaba de sentir dessa moça!? Respiro fundo e penso o quanto vivi e como ainda tenho o que aprender sobre viver... mas esse não é o foco do nosso assunto! Lembra?!...
E aquele casal de velhinhos ali, passeando de mãos dadas, caminhando no ritmo daqueles que ainda possuem todo o tempo do mundo...
Nossa! E aquele canteiro de margaridas?! Em tantos anos quantas margaridas passaram por mim sem que eu as desse o mínimo de atenção, só tinha olhos para o esplendor das rosas, agora, olhando bem, prefiro as margaridas. As rosas já me despertaram grandes paixões e me inspiraram belos poemas. Mas, observe as margaridas... Essas margaridas... Me pareciam tão sem graça na minha juventude, talvez, se tivesse me dedicado a elas eu não seria o poeta que sou hoje. Mas talvez, se as visse com esses olhos que as vejo agora, perceberia melhor as pequenas nuances e enxergaria o que me custou anos para entender... Porque quando somos jovens temos tanta dificuldade de encontrar na simplicidade os ingredientes para a mágica do amor? Confundi tantas vezes a paixão de uma rosa com o amor de uma margarida... Até que um dia já desacreditado no amor encontrei as margaridas. Já as tinha visto. Mas dessa vez eu entendi seu sentido. Tarde demais? E daí! Foi pouco sim! No entanto esse curto momento vivido com intensidade e simplicidade junto as margaridas foi suficiente para amá-las e admirá-las por toda a eternidade.
(...)

JULIANA ROSENTHAL

Nenhum comentário: